Aliviar a /home, para os utilizadores do Nautilus

25 06 2007


Encontrei mais uma excelente dica no Tux Vermelho e como me foi util partilho convosco:

Andava a desconfiar que o espaço ocupado pela minha /home andava a aumentar constantemente, devagar mas sempre a aumentar. É certo que os muitos mails que para aqui tenho armazenados, ajudam muito a que isso aconteça, mas…
Então é assim, fica novamente aqui a dica para quem usa o Gnome, especialmente toda essa malta do Ubuntu:
—————————————————-
find ~/.thumbnails -type f -atime +7 -exec rm {} \;
—————————————————-
É que o Nautilus vai armazenando os thumbnails todos e ao fim duns meses, já começa a pesar! Já tinha mais de 400MB à conta, e tu?
Anúncios




Aliviar a /home, para os utilizadores do Nautilus

25 06 2007


Encontrei mais uma excelente dica no Tux Vermelho e como me foi util partilho convosco:

Andava a desconfiar que o espaço ocupado pela minha /home andava a aumentar constantemente, devagar mas sempre a aumentar. É certo que os muitos mails que para aqui tenho armazenados, ajudam muito a que isso aconteça, mas…
Então é assim, fica novamente aqui a dica para quem usa o Gnome, especialmente toda essa malta do Ubuntu:
—————————————————-
find ~/.thumbnails -type f -atime +7 -exec rm {} \;
—————————————————-
É que o Nautilus vai armazenando os thumbnails todos e ao fim duns meses, já começa a pesar! Já tinha mais de 400MB à conta, e tu?




Configurando a rede no Linux via linha de comando

18 06 2007

Autor: Rafael Siqueira Telles Vieira
 

Configurando a rede no Linux via linha de comando

Eu sempre tive dificuldade em configurar a rede no Linux, seja qual fosse a distribuição. Hoje já mais experiente, tenho alguns conhecimentos que poderiam ter sido muito úteis caso alguém tivesse me contado mais cedo.

Tentando ajudar você, que está arrancando os cabelos para configurar a rede no Linux, não fique careca ainda, pois aqui vão algumas dicas.

Configurando a Rede no Linux via linha de comando

Bem, seja qual for o ambiente gráfico que você use ou distribuição, existem comandos do próprio sistema GNU/Linux que são comuns a todas elas, deste modo exporei aqui como usar elas para configurar rapidamente sua interface de rede.

Para configurar uma rede, você precisa de 4 elementos IP, máscara da rede, gateway e DNS.

Configuração automática

Se você souber esses dados é fácil, se não souber ou quiser detectá-los automaticamente você pode usar o comando:

# dhcpcd
ou
# dhcpcd ethX

(onde X é o número de sua interface de rede, caso você possua mais de uma placa de rede)

Configuração manual

Para configurar manualmente você precisa apenas dos comandos ifconfig (define as configurações da sua placa de rede) e route (controla o roteamento de pacotes, como os dados saem da sua rede).

Antes de mais nada, vamos ver se sua placa de rede foi reconhecida pelo Linux.

Para ver se sua placa está ativa digite:

# ifconfig

Para ver se o sistema a reconheceu:

# lspci
ou
# lsusb

(se sua placa for usb)

Procure pela palavra “Ethernet”, normalmente ou similar:

# ifconfig -a

Se o seu sistema detectou sua placa de rede, ela deve aparecer listada seja pelo lspci/lsusb ou ifconfig.

Para configurar a rede, vejamos a sintaxe dos comandos que usaremos e em seguida darei um exemplo prático.

ifconfig [identificador da placa de rede] [IP] netmask [IP mask] up

route add default gw [IP]

OBS: Existem outros meios para fazer tais operações de configuração com o route e o ifconfig, para isso leia o manual de tais comandos.

Exemplo prático

Vamos supor que eu tenha uma rede com 3 computadores, 1 sendo o gateway do meu sistema, que possui, claro, duas placas de rede.

IPs dos 3 computadores: 10.0.0.1 , 10.0.0.2, 10.0.0.3
Máscara: 255.255.0.0
DNS: 200.192.168.1
Gateway: 10.0.0.1

1° PC

No terminal como root:

# ifconfig eth0 10.0.0.3 netmask 255.255.0.0 up
# route add default gw 10.0.0.1

2° PC

No terminal como root:

# ifconfig eth0 10.0.0.2 netmask 255.255.0.0 up
# route add default gw 10.0.0.1

3° PC – Gateway com duas placas de rede

No terminal como root:

# ifconfig eth0 10.0.0.1 netmask 255.255.0.0 up
# ifconfig eth1 200.17.11.1 netmask 255.255.255.0 up

# route add default gw 10.0.0.1 eth0
# route add default gw 200.17.11.2 eth1

Por último, para configurar o DNS, edite o arquivo /etc/resolv.conf de cada máquina e preencha da seguinte maneira:

nameserver 200.192.168.1

Repare que você pode configurar infinitos DNS, tantos quantos queira 🙂

Para adicionar mais um por exemplo, só adicionamos 1 linha:

nameserver 200.192.168.1
nameserver 200.128.68.20

Muito bem? Espero que ninguém mais tenha dificuldades em configurar uma rede no Linux com isso 🙂

PS: Se você estava era querendo saber como configurar a rede via conexão discada com o modem no Linux e chegou aqui por acaso, um bom lugar para começar é linmodems.org. Lá há grande chances que você encontre o drive para seu modem por lá.

Grande abraço e boa sorte.

Fonte: VOL





Configurando a rede no Linux via linha de comando

18 06 2007

Autor: Rafael Siqueira Telles Vieira
 

Configurando a rede no Linux via linha de comando

Eu sempre tive dificuldade em configurar a rede no Linux, seja qual fosse a distribuição. Hoje já mais experiente, tenho alguns conhecimentos que poderiam ter sido muito úteis caso alguém tivesse me contado mais cedo.

Tentando ajudar você, que está arrancando os cabelos para configurar a rede no Linux, não fique careca ainda, pois aqui vão algumas dicas.

Configurando a Rede no Linux via linha de comando

Bem, seja qual for o ambiente gráfico que você use ou distribuição, existem comandos do próprio sistema GNU/Linux que são comuns a todas elas, deste modo exporei aqui como usar elas para configurar rapidamente sua interface de rede.

Para configurar uma rede, você precisa de 4 elementos IP, máscara da rede, gateway e DNS.

Configuração automática

Se você souber esses dados é fácil, se não souber ou quiser detectá-los automaticamente você pode usar o comando:

# dhcpcd
ou
# dhcpcd ethX

(onde X é o número de sua interface de rede, caso você possua mais de uma placa de rede)

Configuração manual

Para configurar manualmente você precisa apenas dos comandos ifconfig (define as configurações da sua placa de rede) e route (controla o roteamento de pacotes, como os dados saem da sua rede).

Antes de mais nada, vamos ver se sua placa de rede foi reconhecida pelo Linux.

Para ver se sua placa está ativa digite:

# ifconfig

Para ver se o sistema a reconheceu:

# lspci
ou
# lsusb

(se sua placa for usb)

Procure pela palavra “Ethernet”, normalmente ou similar:

# ifconfig -a

Se o seu sistema detectou sua placa de rede, ela deve aparecer listada seja pelo lspci/lsusb ou ifconfig.

Para configurar a rede, vejamos a sintaxe dos comandos que usaremos e em seguida darei um exemplo prático.

ifconfig [identificador da placa de rede] [IP] netmask [IP mask] up

route add default gw [IP]

OBS: Existem outros meios para fazer tais operações de configuração com o route e o ifconfig, para isso leia o manual de tais comandos.

Exemplo prático

Vamos supor que eu tenha uma rede com 3 computadores, 1 sendo o gateway do meu sistema, que possui, claro, duas placas de rede.

IPs dos 3 computadores: 10.0.0.1 , 10.0.0.2, 10.0.0.3
Máscara: 255.255.0.0
DNS: 200.192.168.1
Gateway: 10.0.0.1

1° PC

No terminal como root:

# ifconfig eth0 10.0.0.3 netmask 255.255.0.0 up
# route add default gw 10.0.0.1

2° PC

No terminal como root:

# ifconfig eth0 10.0.0.2 netmask 255.255.0.0 up
# route add default gw 10.0.0.1

3° PC – Gateway com duas placas de rede

No terminal como root:

# ifconfig eth0 10.0.0.1 netmask 255.255.0.0 up
# ifconfig eth1 200.17.11.1 netmask 255.255.255.0 up

# route add default gw 10.0.0.1 eth0
# route add default gw 200.17.11.2 eth1

Por último, para configurar o DNS, edite o arquivo /etc/resolv.conf de cada máquina e preencha da seguinte maneira:

nameserver 200.192.168.1

Repare que você pode configurar infinitos DNS, tantos quantos queira 🙂

Para adicionar mais um por exemplo, só adicionamos 1 linha:

nameserver 200.192.168.1
nameserver 200.128.68.20

Muito bem? Espero que ninguém mais tenha dificuldades em configurar uma rede no Linux com isso 🙂

PS: Se você estava era querendo saber como configurar a rede via conexão discada com o modem no Linux e chegou aqui por acaso, um bom lugar para começar é linmodems.org. Lá há grande chances que você encontre o drive para seu modem por lá.

Grande abraço e boa sorte.

Fonte: VOL





Btuga no Ubuntu

30 05 2007



Uma boa notícia para os amantes dos torrents nacionais. Encontrei o site onde podem ser descarregado o pacote .deb do Btuga.

Descarreguem em: btugadeb.no.sapo.pt

Link directo:
python2.4: btuga_2.3.2_i386.deb
python2.5: btuga-py2.5_2.3.2_i386.deb (recomendado)

Instalação:
Clica duas vezes com o rato no ficheiro “.DEB” que descarregaste
ou abre uma consola/terminal e executa os comandos:

dpkg -i btuga_2.3.2_i386.deb e

apt-get -f install

fonte: http://btugadeb.no.sapo.pt/
Autor: bodymind@sapo.pt





Btuga no Ubuntu

30 05 2007



Uma boa notícia para os amantes dos torrents nacionais. Encontrei o site onde podem ser descarregado o pacote .deb do Btuga.

Descarreguem em: btugadeb.no.sapo.pt

Link directo:
python2.4: btuga_2.3.2_i386.deb
python2.5: btuga-py2.5_2.3.2_i386.deb (recomendado)

Instalação:
Clica duas vezes com o rato no ficheiro “.DEB” que descarregaste
ou abre uma consola/terminal e executa os comandos:

dpkg -i btuga_2.3.2_i386.deb e

apt-get -f install

fonte: http://btugadeb.no.sapo.pt/
Autor: bodymind@sapo.pt





Modem ADSL Sagem no Ubuntu

30 05 2007

Sagem F@st 800 com Ubuntu 6.10 “Edgy Eft”

Utilizadores da versão 6.10 do ubuntu,
 
Fazer o download da coisa: ueagle1.0.1.sh
 
Extrair e correr o script:
 
“sudo sh ueagle1.0.1.sh”

 Resultado

Da primeira vez, e aqui suponho que seja uma clean install do edgy, corremos do passo 1 ao passo 5.
Com updates á imagem do kernel é só correr o passo 4.
Esperamos que a luz do modem pare de piscar.

Verificamos se o modem carregou o firmware sem problemas:


dmesg
 
Depois em principio é só ligar:
sudo adsl start
 
Para desligar:
sudo adsl stop
 
Outros comandos:
 
sudo adsl restart
sudo adsl reload
(recarrega o modulo ueagle-atm)

Não tem nada que saber.

Versão para Ubuntu 7.04 “Feisty Fawn”:
 

Basicamente a mesma coisa, mas com ficheiro diferente. Link: ueagle-feisty.sh
E sim, ainda é um shellscript:

 Resultado

Referência: http://atm.eagle-usb.org/wakka.php