Instalando pacotes .tar.gz e .tar.bz2

17 05 2007
Informações iniciais

Muitos usuários recém chegados no mundo Linux deparam-se com esse problema ao desejarem instalar determinado software que não vem por padrão na distribuição usada e ao fazer o download do arquivo, encontram um .tar.gz.

Ao longo desse artigo irei mostrar como não existe nada de complicado nessa tarefa.

  • Pacotes do tipo .tar.gz ou .tar.bz2 contém os fontes do programa prontos para compilação (transformar os fontes em executáveis).
  • Sua instalação não depende da distribuição usada.
  • O .tar significa que dentro desse arquivo existem outros arquivos e sub-pastas e o .gz ou .bz2 é o tipo de compactação que foi usada na criação do pacote.

Botando a mão na massa

Para exemplo prático iremos instalar a versão mais recente do Mplayer, player de vídeo bastante usando no universo do software livre. Caso sua distribuição já tenha o programa instalado por padrão, não tem problema, instale-o de novo para efeito de aprendizado.

Crie um diretório dentro da sua pasta de usuário (/home/seu_login). Por motivos didáticos, daqui em diante vou me referir a esse diretório sempre por /home/usuário.

Baixe o arquivo (nesse caso é do tipo .tar.bz2) e salve-o em /home/usuário

Agora que começa a brincadeira…

Abra uma janela de terminal (aquela janelinha geralmente de fundo preto usada para executar comandos) e digite os seguintes comandos nessa ordem:

$ cd /home/usuário (entra no diretório onde está o pacote)
$ ls (só para você ver o pacote que você baixou)
$ tar -jxvf nome_do_pacote.tar.bz2

DICA: Digite as primeiras letras e tecle tab.

Explicação do último comando: para extrair os arquivos de um pacote .tar.bz2 usa-se o comando listado acima, caso fosse um .tar.gz o comando seria bastante semelhante:

$ tar -zxvf nome_do_pacote.tar.gz

Ou seja, muda apenas em uma letra de “j” para “z” ou vice-versa. Recomendo que você procure saber o que significa cada uma dessas letras, para isso use o comando:

$ man tar

Agora você pode notar que foi criado um novo diretório:

$ ls
$ cd nome_do_diretório_criado
$ ls

Está vendo um arquivo chamado “configure”? Segue explicação abaixo.

Como o nome já sugere, esse arquivo ‘prepara’ o Linux para instalar o programa, checando dependências, entre outras coisas. Se encontrar problemas na etapa seguinte, leia o INSTALL ou o README, eles informam tudo que você precisa ter e/ou fazer para ter o programa funcionando perfeitamente.

$ ./configure

(o ./ significa que queremos executar esse arquivo)

OBS: Agora serão verificadas variáveis de ambiente e dependências de bibliotecas. Essa etapa demora um pouco, caso o configure encontre algum erro, anote-o, vá no install e veja se fala algo sobre.

$ make
$ make install
(instala o programa no Linux)

Lista rápida de comandos:

  • tar -zxvf nome-do-arquivo.tar.gz – desempacota o arquivo de extensão .tar.gz;
  • tar -jxvf nome-do-arquivo.tar.bz2 – desempacota o arquivo de extensão .tar.bz2.

Finalizando

Em alguns pacotes nem é preciso executar o trio configure-make-make install, pois ao desempacotarmos com o ‘tar’ dentro da pasta já está o executável prontinho para ser executado, ou então existe um arquivo de instalação próprio do programa, como é o caso do OpenOffice. Tente instalá-lo para perceberem o que estou falando.

Bem pessoal, esse é meu primeiro artigo aqui no Viva o Linux, espero que eu tenha ajudado vocês de alguma forma.

Até a próxima.

Autor: Alexandre Muzzio (th13fp45s)


Fonte:
http://www.vivaolinux.com.br/artigos/verArtigo.php?codigo=2367
Anúncios

Acções

Information

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: